Visa prospectar dados e informações com a finalidade de compreender a realidade da instituição, mapear fluxos e processos existentes, avaliar protocolos clínicos, identificar lideranças e avaliar dados assistenciais.

Através da análise dos resultados, oferecemos o substrato para o início de um trabalho de ampliação e aperfeiçoamento da assistência no modelo de medicina hospitalista.

Eixos de Atuação:
Os dados serão obtidos através de:
  • Entrevistas com representantes de diferentes setores do hospital das áreas assistencial, de apoio diagnóstico e da gestão;
  • Consultoria presencial, analisando espaço físico e fluxos hospitalares;
  • Revisão de prontuários, contas hospitalares e adequação do preenchimento de Autorização de Internação Hospitalar (AIH).
Áreas e Processos avaliados:
1 – Fluxos de Atenção ao Paciente Clínico e Cirúrgico
  • Dinâmica de atenção médica e multidisciplinar nas enfermarias;
  • Gestão da alta hospitalar, incluindo a transição de cuidado entre o atendimento hospitalar e os serviços de atenção primária/médico ambulatorial;
  • Forma de atendimento a intercorrências médicas e o atendimento de código azul;
  • Realização de avaliações dos médicos clínicos aos pacientes cirúrgicos, avaliações perioperatórias, gineco-obstétricas e de pacientes com doenças psiquiátricas;
  • Rol de especialidades clínicas e cirúrgicas hospitalares, ambulatoriais e interface com a equipe clínica;
  • Avaliação dos atuais processos de cuidado praticados pelas equipes assistenciais;
  • Integração do trabalho médico com os demais membros da equipe multiprofissional.
2 – Interface com Áreas de Apoio:
  • Setor de diagnóstico por imagem e fluxos de realização de exames próprios ou terceirizados;
  • Fluxo de informações com o laboratório de análises clínicas. Tempo para realização de exames comuns e para realização de procedimentos diagnósticos e terapêuticos; Critérios para solicitação de exames laboratoriais de urgência;
  • Análise de efetividade das comissões hospitalares obrigatórias: comissão de óbitos, comissão de revisão do prontuário de paciente; ética médica.
3 – Qualidade de Registro do Prontuário e Contas Hospitalares:
  • Qualidade do preenchimento do prontuário pela equipe assistencial;
  • Consistência do registro das informações assistenciais;
  • Impacto no reembolso dos atendimentos prestados.
4 – Padronização de Medicamentos
  • Verificação dos principais itens de consumo;
  • Dimensionamento da lista de medicamentos padronizados à realidade institucional;
  • Avaliação de protocolos institucionais para o uso racional de medicamentos.
5 – Indicadores de Qualidade e Segurança Assistencial:
  • Média mensal de entradas e saídas clínicas e cirúrgicas;
  • Perfil epidemiológico;
  • Tempo Médio e mediano de Permanência, Mortalidade Setorial, Reinternação em 30 dias;
  • Taxas de quedas, úlceras de pressão e demais eventos adversos e quase-erros.
Resultados:
  • Relatório com análise crítica substanciada por indicadores de todos aspectos avaliados;
  • Construção de um diagnóstico situacional acurado;
  • Criação de um plano de ação para o aperfeiçoamento da assistência hospitalar.
  • Apresentação do relatório para pessoas indicadas pela direção.