Eficiência Hospitalista inicia implementação dos Escritórios de Gestão de Alta nos hospitais do ES

Iniciativa abrange quatro hospitais da rede pública estadual para garantir menor tempo de internação e mais qualidade na assistência

reunião da Eficiência Hospitalista no HEAC para os Escritórios de Gestão de Alta
Reunião da Eficiência Hospitalista no HEAC para formação de equipe

Estamos iniciando uma nova etapa do nosso projeto junto ao Governo do Espírito Santo! Depois da atuação voltada à implementação e a otimização dos Núcleos Internos de Regulação (NIRs) da rede pública estadual, agora a Eficiência Hospitalista – Soluções em Saúde segue com uma proposta mais do que inovadora. Trata-se da criação dos Escritórios de Gestão de Alta (EGAs), uma iniciativa que até então só tinha sido realizada no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Porto Alegre/RS. Um trabalho idealizado pelo então coordenador da unidade, o CEO da Eficiência Hospitalista, André Wajner.

Agora, a solução focada na melhoria dos fluxos, na diminuição do tempo de internação hospitalar, no aumento do giro de leito e na qualidade assistencial também começa a se tornar realidade em quatro hospitais capixabas.

Como funciona

A partir do Escritório de Gestão de Alta implementado em cada instituição, vai ser possível potencializar o desempenho da equipe multiprofissional, tão importante nesse processo. Dessa forma, se viabiliza a identificação precoce dos pacientes com maior risco de hospitalização prolongada. Isso acontece já no momento da admissão, seguindo protocolos específicos voltados a mapear e resolver os riscos.

A gerente de projetos da Eficiência Hospitalista, a engenheira de produção Caroline Rosso, explica que as ações têm como objetivo o aprimoramento do cuidado ao paciente. Isso significa a resolução de questões que possam causar um impacto negativo no tempo de permanência desses pacientes na instituição.

De acordo com ela, são várias as atividades realizadas para chegar a essas metas, incluindo o mapeamento e a análise de dados e indicadores. São informações essenciais para uma melhor tomada de decisão, tanto na gestão do planejamento terapêutico como na previsão de alta hospitalar.

“Os dados nos permitem a detecção de falhas no fluxo do paciente, assim como nos processos de apoio. O que representa uma transição do cuidado mais eficiente e também mais segura”, afirma a gestora.

reunião de alinhamento dos Escritórios de Gestão de Alta
Reunião de alinhamento para implementação dos EGAs
Etapas

Segundo Caroline, o projeto se encontra na fase de alinhamento junto aos gestores dos hospitais estaduais Dório Silva, Sílvio Avidos, Infantil Nossa Senhora da Glória e de Atenção Clínica. Logo em seguida, será feito o diagnóstico da estrutura física e de recursos humanos, para então seguir com a implementação dos Escritórios de Gestão de Alta. Sempre respeitando as características de cada instituição.

Durante o período de implementação dos EGAs, serão utilizadas diferentes ferramentas para a consolidação dessas unidades. Sendo assim, visando atingir a redução do tempo médio de permanência do paciente, as reinternações, bem como o aumento da segurança no cuidado e a satisfação do paciente, familiares ou cuidadores.

Ou seja, identificar os gargalos que levam à permanência desnecessária dentro do ambiente hospitalar, para evitar o risco de novas doenças ou complicações. O resultado garante a melhor utilização dos recursos e dos equipamentos disponíveis, reduzindo custos com medicação, por exemplo.

Como os Núcleos Internos de Regulação, os Escritórios de Gestão de Alta buscam o maior giro de leitos e chegam para complementar o trabalho que a Eficiência Hospitalista vem realizando da rede pública estadual do Espírito Santo. “É garantir que os leitos disponíveis possam ser melhor utilizados. Assim, viabilizando o atendimento a um maior número de pacientes, com segurança e qualidade”, reforça a gestora da empresa.

HNSC

Criado em 2017, o Escritório de Gestão de Alta do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) foi uma iniciativa pioneira na assistência. Uma ideia que surgiu com o objetivo de diminuir o tempo de internação, aumentar o giro de leitos e melhorar a qualidade da jornada do paciente.

Com uma equipe formada por três médicos, duas enfermeiras, duas estagiárias de enfermagem, uma assistente social e uma farmacêutica, a iniciativa alcançou excelentes resultados em apenas um ano de implantação.

Somente na Medicina Interna, com aproximadamente 160 leitos e considerado o maior serviço médico do HNSC, foram cerca de mil internações a mais em comparação com o mesmo período do ano anterior. O que representou um aumento de 25% do número de admissões hospitalares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(https://eficienciahospitalar.com.br/wp-content/uploads/2018/11/publicacoes.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 400px;}