O comanejo clínico-cirúrgico consiste na atuação do médico hospitalista na interface de paciente cirúrgicos com comorbidades clínicas, atuando conjuntamente com o cirurgião no pré e pós operatório. Este campo de atuação encontrou espaço crescente considerando que pacientes submetidos a procedimentos cirúrgicos são cada vez mais idosos e portadores de muitas comorbidades.
A definição de comanejo é a divisão da responsabilidade, autoridade e referência entre o médico hospitalista e o cirurgião no cuidado dos pacientes internados para realizar cirurgia. Desta forma, o hospitalista acaba coordenando o cuidado na enfermaria do paciente  cirúrgico, através do trabalho em equipe  e estratégias de comunicação efetiva entre os médicos assistentes e paciente/família,  com adequado estabelecimento das responsabilidades e rotinas de cada profissional.
Atuamos na supervisão e gerenciamento da equipe de médicos hospitalistas, de modo a cobrir integralmente a demanda médica da enfermaria cirúrgica.
Eixos de Atuação
  • Definição de Perfil/Recrutamento/ seleção de equipe médica;
  • Apoio à coordenação médica e de enfermagem da enfermaria;
  • Dimensionamento de equipes de dia de semana e finais de semana;
  • Criação e gerenciamento de metas administrativa/gerenciais para os hospitalistas;
  • Organização da linha do paciente cirúrgico;
  • Organização do cuidado pré-operatório de pacientes a nível ambulatorial;
  • Organização do cuidado pré-operatório de pacientes hospitalizados;
  • Criação e implementação de modelo de Comanejo clínico-cirúrgico customizado para cada equipe cirúrgica;
  • Estudo da efetividade do modelo com indicadores relevantes.
  • Elaboração e implementação de protocolos assistenciais;
  • Acompanhamento continuado dos principais indicadores de desempenho e de qualidade assistencial;
  • Fortalecimento e implementação dos conceitos de multidisciplinaridade;
  • Organização de fluxos internos e transição de cuidados através da metodologia Lean Healthcare;
  • Integração dos hospitalistas com projetos de Segurança do Paciente;
  • Organização do cumprimento de metas de Qualidade Assistencial pelos hospitalistas.
Resultados:
  • Redução do tempo médio de permanência dos pacientes antes da cirurgia (pré-operatório);
  • Redução do número de cirurgias canceladas (por condições clínicas);
  • Melhora da qualidade do atendimento ao paciente cirúrgico com menos complicações pós-operatórias;
  • Redução do tempo de permanência pós-operatório;
  • Diminuição do tempo total de internação;
  • Aumento da produção cirúrgica;
  • Aumento de faturamento;
  • Diminuição de custos assistenciais;
  • Melhora da satisfação do usuário e da equipe.