Saiba como foi a experiência da Eficiência Hospitalista no Hospital Rio Maina e os excelentes resultados

Hospital de retaguarda criado para atender pacientes da Covid-19 encerra atividades devido à baixa de casos

A partir de setembro, o Hospital Rio Maina, em Criciúma (SC), não abre mais as suas portas. Criado como uma unidade de retaguarda para o atendimento de casos de Covid-19, o encerramento das atividades foi motivado pela baixa no número de contaminados. Entretanto, a estrutura ficará em alerta, devido à presença da variante Delta.

Apesar do fim do atendimento, a Eficiência Hospitalista – Soluções em Saúde tem motivos de sobra para se orgulhar da atuação junto ao Hospital Rio Maina, iniciada em janeiro. Durante o ano, a empresa teve a oportunidade de auxiliar o hospital a organizar os processos, ao estruturar toda a base assistencial e implementar conceitos da Medicina Hospitalar. Entre eles, a horizontalidade do cuidado e a desospitalização eficiente.

Eficiência Hospitalista no Hospital Rio Maina
Eficiência Hospitalista atuou para que a UTI fosse uma realidade

Além disso, o projeto também abrangeu — e de forma ampla — a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), contou com a implementação da filosofia Lean na Farmácia da instituição, bem como toda uma cultura de gestão de indicadores. Sem falar na consultoria remota para a otimização dos processos assistenciais e de decisão clínica relacionadas aos pacientes internados. Os chamados Telehospitalista e Teleintensivista.

Para se ter uma ideia do sucesso dessa iniciativa de telemedicina, 91% das condutas sugeridas pelos médicos consultores da empresa foram aceitas pelos profissionais do hospital. Ao todo, foram mais de 130 horas de discussão de casos, buscando os melhores caminhos para garantir que o maior número de pessoas tivesse acesso tanto aos 50 leitos de Enfermaria, como aos 10 de UTI.

Conforme O CEO da Eficiência Hospitalista, o médico André Wajner, esse foi um projeto muito satisfatório e de grande relevância social, devido à importância desse trabalho em meio à pandemia e o seu alcance para toda a região.

“Tivemos a oportunidade de auxiliar na criação de uma UTI em um hospital de retaguarda, desde a estruturação até a capacitação da equipe multiprofissional, incluindo a consultoria remota. Além disso, ajudamos a organizar a enfermaria, com o plano terapêutico, previsão de alta e treinamento da equipe multiprofissional”, comemora.

Grata parceria

A gerente de projetos da Eficiência Hospitalista, a engenheira de produção Caroline Brum Rosso, explica que as ações em parceria com o Instituto Harmone, responsável pela administração do Hospital, consagraram resultados animadores. Os quais se refletem na agilidade e na adequação dos fluxos.

“Em um momento tão conturbado na saúde como o atual, todo o aprendizado adquirido ao aplicar as nossas soluções em hospital novo e de retaguarda vai ficar marcado na história da Eficiência Hospitalista”, comemora Caroline.

O diretor do Hospital Rio Maina e do Instituto Harmone, o médico Alexander Araldi de Oliveira, fala dessa parceria. Ele considera que essa cooperação proporcionou experiências e resultados incríveis. “Foi um processo trabalhoso, porém muito recompensador. Uma parceria que definitivamente deu certo, especialmente pela disponibilidade da empresa em conhecer e suprir nossas demandas”, afirma.

Ele conta que, mesmo sem nunca ter atuado com a telemedicina, a confiabilidade da empresa, bem como o projeto focado naquilo que o hospital precisava, garantiu a qualidade do serviço prestado.

“A Eficiência Hospitalista tem uma proposta de trabalho flexível e, principalmente, individualizada, estudando e atendendo às nossas necessidades específicas, sempre com a humanização do atendimento, a disponibilidade em sanar dúvidas e resolver dificuldades o mais rápido possível”, destaca o gestor.

Eficiência Hospitalista no Hospital Rio Maina
Round do Telehospitalista
Telehospitalista

O primeiro projeto da Eficiência Hospitalista no Hospital Rio Maina iniciou no mês de janeiro de 2021. Chamado de Telehospitalista, a ferramenta de consultoria remota contava com rounds diários para a discussão de casos, em uma média de sete por semana.

Foram  discutidos 1.137 casos, com a participação da equipe do hospital de um lado da tela, enquanto do outro estava o médico consultor do projeto. Portanto, auxiliando na horizontalidade do cuidado dos pacientes internados com Covid-19, com base na Medicina Hospitalar.

A enfermeira hospitalista Eliza Lopes, que foi capacitada pela empresa seguindo os preceitos desse modelo assistencial, ressalta a importância da experiência e da qualidade alcançada no atendimento pela equipe multiprofissional. Ela também aponta para os indicadores adquiridos, os quais auxiliaram na melhoria e na eficiência dos processos hospitalares.

Segundo ela, “isso contribuiu tanto para meu crescimento profissional, como também proporcionou uma assistência de qualidade, levando a um bom prognóstico. Dessa forma, visando a melhora clínica para uma desospitalização humanizada, adequada e eficaz ao paciente”.

A Gestora Assistencial do Rio Maina, Francieli Bortolotto, também ressaltou esse desenvolvimento no ambiente de trabalho. De acordo com ela, a experiência permitiu o amadurecimento dos envolvidos.
“Conseguimos perceber claramente a evolução desses profissionais. Pois o comprometimento da Eficiência Hospitalista em passar as condutas, como a troca de antibiótico ou a solicitação de exames, permitiu o fortalecimento da equipe e que se sentia mais confiante do seu trabalho”, afirma.

Francieli ainda enfatiza: “Com certeza, os profissionais que atuaram com a Eficiência Hospitalista passaram a ter outro olhar, uma visão mais holística dos pacientes. Portanto, tenho muita gratidão a esse serviço excelente e agradecemos à parceria”.

Eficiência Hospitalista no Hospital Rio Maina
Round do Teleintensivista
Teleintensivista

Com a abertura da UTI Covid do Rio Maina, a Eficiência Hospitalista também ficou responsável pela consultoria remota para auxiliar no diagnóstico e no tratamento dos pacientes internados na UTI. Foram rounds de segunda à sexta-feira, com duração de cerca de uma hora, chegando a um total de 239 casos discutidos.

Com isso, o Teleintensivista garantiu aos médicos da UTI maior segurança nas condutas, melhor organização das rotinas e treinamento on-line. Ou seja, um impacto expressivo na qualidade assistencial para os moradores do município e de toda a região.

Quem ajudou os profissionais na otimização do plano terapêutico dos pacientes infectados pelo vírus SARS-CoV-2, foi o médico consultor da Eficiência Hospitalista, Diego Nunes Leite. “Foi desafiador conseguir implementar um projeto 100% à distância. Mas, com a boa adesão da equipe, vimos o amadurecimento de cada um e a sua visão do ambiente crítico”, evidencia.

Assertividade

Para o diretor Alexander, o trabalho com a telemedicina foi fundamental para a melhora significativa no desempenho da equipe, em relação ao atendimento aos pacientes. “A Eficiência Hospitalista fornece uma visão dinâmica, atuando ativamente. Cobrando quando deve ser cobrado e sendo muito assertiva nas propostas, assim como no estabelecimento de uma rotina assistencial”, salienta.

“Desde o início da parceria com a Eficiência Hospitalista, com os rounds e com todo planejamento ao atendimento ao paciente que nos foi fornecido, vimos que o projeto trouxe grandes resultados. Uma melhoria inquestionável na assistência ao paciente, como podemos ver nos nossos indicadores”, ressalta Alexander.

Indicadores assistenciais

Outro trabalho de sucesso implementado pela Eficiência Hospitalista foi a gestão de indicadores. O que ocorreu tanto da enfermaria quanto da UTI, bem como a implementação do Dashboard da empresa. Dessa forma, todos os dados assistenciais e que não constam nos prontuários foram coletados pela ferramenta, proporcionando o melhor controle da demanda de pacientes.

Ou seja, o hospital conseguiu fazer o planejamento estratégico baseado em dados reais, em tempo real e com software na nuvem. “Isso ajudou bastante a gestão, pois a Covid-19 tem muitas alterações em seu ciclo, entre altas e baixas demandas. E os dados em tempo real são essenciais para a melhor tomada de decisão”, explica o CEO André Wajner.

Capacitação
Eficiência Hospitalista no Hospital Rio Maina
Capacitação com a equipe

Além das demais atividades do projeto da Eficiência Hospitalista no Hospital Rio Maina,  foi realizada a entrega semanal de vídeos, com material teórico embasado nas propostas de melhoria na assistência. Entre eles, podemos citar a prescrição padrão para todos os internados. Assim como o fluxo de alta, auxiliando na transição de cuidado dos pacientes de forma multidisciplinar.

Também foram gravadas quatro aulas em vídeo, com informações específicas para contribuir com o trabalho na UTI. Um treinamento 100% virtual, criado a partir das necessidades apresentadas pelos profissionais. Como, por exemplo, protocolo de prevenção de pneumonia associada à ventilação mecânica e o atendimento à Parada Cardiorrespiratória (PCR) na UTI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(https://eficienciahospitalar.com.br/wp-content/uploads/2018/11/publicacoes.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 400px;}