Telehospitalista completa três meses em hospital de Cascavel e já faz parte da rotina das equipes assistenciais

Projeto de telemedicina implementado pela Eficiência Hospitalista beneficia pacientes internados no São Lucas

reprodução de imagem da tela de computador de telemedicina
Dra. Julia (à direita) e enfermeira Patrícia Melo, em round com os consultores médicos da EH, Fabrício Fonseca e André Wajner

A telemedicina se consolida como um novo olhar para a prática médica. Atenta a essas transformações, a Eficiência Hospitalista – Soluções em Saúde tem levado aos seus projetos, em todo o Brasil, o Telehospitalista, uma ferramenta cujo objetivo é otimizar a assistência aos pacientes internados. E no Hospital São Lucas, em Cascavel (PR), isso não é diferente. Desde o mês de março, essa é uma realidade que faz parte da rotina das equipes de Medicina Hospitalar. Segundo o diretor da EH e gestor do projeto na instituição, o médico hospitalista Fabrício Fonseca, “a telemedicina já está no nosso dia a dia para garantir aos fluxos de processos dos pacientes um maior cuidado, com menos desperdício e a alta mais precoce”.

Desde a implementação do Telehospitalista, mais de 100 casos puderam ser discutidos com a orientação remota da Eficiência Hospitalista. Sempre às terças e quintas-feiras, um médico hospitalista da empresa participa de um round com um representante médico e outro da enfermagem do hospital. Por meio de um dashboard desenvolvido pela EH, o médico consultor tem acesso ao prontuário e a todos os dados do paciente, possibilitando a troca da informações e a assertividade das decisões a serem tomadas pela equipe de Cascavel.

MELHORIA DA ASSISTÊNCIA

De acordo com Fabrício, desde o início do projeto a aceitação dos médicos hospitalistas tem sido muito positiva. “Todos são muito abertos para receber as sugestões feitas pelos consultores e já podemos perceber um impacto na melhoria da assistência e no aumento do giro de leitos”, ressalta. Além disso, o médico da EH acrescenta: “isso nos deixa muito motivados a seguir no aprimoramento da ferramenta e no seu uso.”

NOVA REALIDADE

E os bons resultados também têm motivado a equipe do Hospital São Lucas. A médica hospitalista Julia Barazetti Ferrari Alves conta que, antes de implementação do Telehospitalista, a telemedicina já estava presente nas atividades da instituição, de forma eventual. “No entanto, diante da atual situação em que nos encontramos e da crescente necessidade do distanciamento social, a telemedicina tem sido uma ferramenta fundamental de adaptação a essa nova realidade, permitindo não só manter a qualidade do modelo implementado na FHSL, mas, também, agregar conteúdo”, afirma.

AGILIDADE

Júlia destaca que a equipe teve uma boa adaptação ao modelo. “Nós temos estabelecido dias e horários fixos, que, eventualmente, podem ser flexibilizados, facilitando esse processo e conciliando com as atividades presenciais e assistenciais”, explica. Para a médica, esse bom funcionamento tem garantido agilidade aos processos dentro do hospital, reduzindo as barreiras de acesso à assistência. “Com certeza, podemos afirmar que a atual Pandemia da Covid-19 só acelerou uma implementação da Telemedicina, que já tinha sua ocorrência prevista, permitindo compartilhar o conhecimento”, diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(https://eficienciahospitalar.com.br/wp-content/uploads/2018/11/publicacoes.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 400px;}